Eleição do vice-prefeito torna o próximo presidente da Casa o substituto automático do prefeito.

A eleição para deputado federal de Luiz Fernando Machado (PSDB), com inéditos 130 mil votos, deixa a cadeira de vice-prefeito vaga a partir de janeiro. Na mesma data assume um novo presidente da Câmara Municipal, que herdará a função de substituir o prefeito Miguel Haddad (PSDB) em casos excepcionais.

“É uma situação especial, porque o presidente de um dos poderes é o substituto imediato em outro”, afirma o atual presidente José Galvão Braga Campos, o Tico (PSDB), que diz ainda ser muito cedo para o debate do assunto. A escolha do próximo presidente acontece apenas em dezembro.

Em 1994, o próprio Miguel era vice de André Benassi quando foi eleito deputado estadual. Mas o então presidente da Câmara, Antonio Carlos Pereira Neto, o Doca (PP), não precisou assumir o comando do Executivo durante aquele mandato no cargo.

“Não creio que teremos problemas nesse processo, pois a base do governo tem maioria e tem sido muito unida”, avalia Tico.

Ele dedicou parte da sessão desta terça-feira a elogiar o resultado das eleições em Jundiaí, que fortaleceram a cidade e, no caso de 2 dos 3 eleitos, o próprio grupo liderado por Miguel.

“A escolha do próximo presidente é assunto interno dos vereadores. Então faz diferença porque o Miguel vai terminar o governo entre os melhores”.

Cargo tem dois anos

A função de presidente da Câmara, como as demais da mesa diretora, dura metade da legislatura de quatro anos. A base de governo tem atualmente 14 dos 16 vereadores.

Como saber o local de votação? O voto é obrigatório para todas as pessoas a partir de 18 anos, e se você não sabe o seu local de votação, clique no link.